“Netflix da beleza”

Saiba como surgiu o Netflix da beleza.

Seguindo a tendência da digitalização do consumidor brasileiro e o aumento da venda no formato clube de assinaturas, nasceu o belle.club. Um salão de beleza com conceito inovador, o qual gostamos de chamar de “Netflix da beleza”.

Luis Lanaro, co-fundador da empresa, conta como tudo começou, a jornada até se tornar uma franquia, e quais as projeções no cenário atual.

Como começou o belle.club? Por que podemos dizer que se assemelha a um “Netflix da beleza”?

Luis: O belle.club surgiu pois percebíamos que os salões de beleza não haviam acompanhado as evoluções pelas quais o mundo passou.

A mulher hoje é independente, empreendedora, ocupa posições importantes na sociedade, mas continua fazendo visitas a salões muito parecidos com os que suas avós frequentavam.

Esse modelo não atende nenhuma das partes envolvidas: as clientes enfrentam dificuldades para agendamento, serviços demorados e preços poucos acessíveis; as profissionais da beleza sofrem com a sazonalidade e ficam muito tempo ociosas; e os salões não conseguem muitas vezes fechar as contas no final do mês, principalmente nos períodos fora dos picos de procura.

Nossa proposta é oferecer serviços práticos e acessíveis, com pagamento recorrente.

Assim conseguimos facilitar a vida das mulheres, propiciar oportunidades de trabalho para nossas profissionais parceiras e gerar previsibilidade de caixa para nossas lojas.

Como funciona o serviço do belle.club, e quais são seus diferenciais?

Luis: Trabalhamos com aqueles serviços que as mulheres precisam no dia a dia: lavar e escovar os cabelos, hidratação, manicure e pedicure. Com isso conseguimos padronizar a qualidade e ter um compromisso fundamental: nossas assinantes ficam prontas em até 1 hora.

Mesmo se ela for fazer todos os serviços de uma só vez, nossa equipe de profissionais conseguem deixá-la com cabelos, mãos e pés impecáveis em no máximo 60 minutos.

Para garantir ainda mais praticidade, a mulher consegue virar uma assinante do belle.club pela internet ou nosso aplicativo.

Também pelo aplicativo ela agenda seu horário, entra em contato com nossa central de atendimento, compra serviços extras e recebe notificações para não esquecer do horário agendado.

A tecnologia também é muito presente para nossas franqueadas: oferecemos um sistema de gestão completo, com controle financeiro integrado e já com todas as ferramentas para as vendas online.

Com isso o dia a dia da unidade é facilitada, permitindo com que a franqueada possa se dedicar à estratégia do seu negócio.

Quando vocês decidiram por tornar o modelo franqueável, e se associar à SMZTO?

Luis: Quando abrimos a primeira unidade do belle.club, em Sorocaba há 3 anos, já tínhamos muito claro que nosso crescimento seria por meio de franquias.

Por isso, antes mesmo da abertura para os primeiros atendimentos a preocupação com padronização, processos e construção de um negócio escalável era muito presente.

Se nossa preocupação era construir um modelo franqueável, nosso sonho era estar na SMZTO – uma referência no franchising nacional.

Fizemos um primeiro contato ainda no primeiro ano do negócio, mas ainda estávamos muito “verdes” para uma expansão.

Mas em 2019 surgiu uma outra oportunidade de apresentar nosso modelo e, mais maduros, conseguimos fechar a parceria. 

Ter um grupo como a SMZTO referendando nosso projeto nos deu ainda mais ânimo para construir a maior e mais inovadora rede de salões de beleza do Brasil.

Estamos acompanhando muitas mudanças de comportamento no momento atual. À medida que o confinamento avança, muito se fala em uma tendência no aumento do olhar para si e do autocuidado. Como você acredita que essas novidades irão influenciar o mercado da beleza, e por consequência, o negócio em que atua?

Luis: Acredito que ainda é cedo para cravar quais serão as tendências que irão predominar após esse momento completamente novo que estamos vivendo. Mas alguns pontos já estavam muito consolidados na cultura da mulher brasileira e penso que não irão mudar.

O Brasil é o terceiro maior mercado global da beleza, com mais salões de beleza do que bares, restaurantes, farmácias, padarias e supermercados. Mesmo com o fechamento de alguns de negócios em todas as áreas, acredito que os salões ainda serão maioria pois representam 80% desse mercado. Nos outros 20% estão cuidados com a pele, serviços de estética, etc. Ou seja, é um mercado enorme e consolidado. O setor já atravessou por outras crises e saiu fortalecido, então – mesmo diante dos desafios do pós-pandemia – acreditamos que continuará sendo muito expressivo.

O desafio será oferecer ambientes seguros para as clientes e profissionais, principalmente neste período de transição, para preservar a saúde de todas as envolvidas.

Nosso time já vem desenvolvendo essas soluções, para que continuemos a entregar os serviços com a qualidade e praticidade pelos quais são reconhecidos.

Para quem quer conhecer mais sobre o belle.club, e cogita se tornar um franqueado. Qual é o primeiro passo, e qual o capital inicial necessário?

Luis: O primeiro passo é querer fazer parte dessa revolução do mercado de beleza no Brasil. Buscamos franqueadas conectadas com a inovação, que desejem empreender em algo que irá transformar mais do que a vida delas, mas todo um enorme setor econômico.

Uma grande vantagem de nosso modelo de negócio é que a franqueada não precisa ter formação ou experiência como cabeleireira ou manicure para montar uma unidade do belle.club. É uma oportunidade para todas que desejam empreender na área.

O investimento total é de R$ 200 mil, incluindo taxa de franquia, adequação do imóvel, equipamentos e capital de giro. E o grande diferencial para a investidora: ao contrário dos salões de beleza tradicionais, que levam um tempo para formar carteira de clientes, no belle.club ela já inaugura a loja com agenda cheia e receita previsível, devido ao nosso exclusivo processo de lançamento de novas unidades.

Se você deseja saber mais sobre como se tornar um franqueado belle.club clique aqui.