Como saber se meu negócio é franqueável?

A primeira coisa a se fazer é testar e pilotar por pelo menos por um ano essa primeira unidade e seu conceito. Testar também a replicabilidade, fazer essa gestão à distância para ver como é isso, se estruturar - planejar, fazer seu contrato de franquia, sua COF, o plano financeiro e os manuais, e focar no longo prazo.
Por Renan Brito

Se você tem uma ou mais unidade de negócio rodando com boa performance, com certeza já deve ter pensado em expandi-lo através de franquias e se perguntado: meu negócio é franqueável?

Para tirar qualquer dúvida sobre o tema, neste episódio da Rádio SMZTO, convidamos Renan Brito, head de novos investimentos do grupo, para comentar os principais pontos que tornam um negócio franqueável.

Renan Brito comenta sobre expansão de redes e franqueabilidade.

Vamos começar pelo básico. O que define uma franquia?

Renan: Bom, a franquia nada mais é do que um modelo de expansão através do qual o franqueador, que é o detentor da marca, fornece o direito de uso de um produto ou de um serviço específico, o know-how e treinamentos para o franqueado. O franqueado por sua vez, faz todo o investimento para a montagem da loja, é responsável pela operação e remunera o franqueador através dos royalties. 

Uma pessoa que tem mais de uma loja, sejam duas ou três, de um mesmo negócio, já pode considerar este como um negócio franqueável?

Renan: Conforme falamos, franquear implica em uma transferência de conhecimento e know-how para o franqueado. Sendo assim, se você pensa em se tornar franqueador, acredito ser indispensável você ter essa experiência prática e pilotar sua loja para que esteja apto a transferir esse conhecimento. Eu duvido que você ache um empreendedor que teve o plano teórico 100% aderente ao que ele encontrou na prática. É preciso ter essa vivência, passar pelos desafios da implementação do negócio para conseguir auxiliar e transferir conhecimento ao seu franqueado.

Além disso, é muito importante testar a replicabilidade dessa ideia. Às vezes o que funcionou na sua primeira loja muito bem, talvez não funcione quando você pensa em escalar e ter vários pontos de venda. Muitas vezes é preciso simplificar os processos, enxugar um pouco o portfólio de produtos e serviços oferecidos. Esse teste é tão importante que no mercado norte-americano isso é regulamentado. Você não pode franquear o seu negócio se não tiver comprovado que está testado, e é lucrativo. 

Sendo assim, o que é mais importante esse franqueador observar e ter estruturado no negócio dele antes de começar a franquear?

Renan: Falando do ponto de vista do empreendedor que está considerando começar a franquear o negócio dele, existem algumas coisas que ele deve observar, tais como:

  1. Ele precisa ter o negócio já testado e lucrativo;
  2. É importante que ele já tenha mapeado quais são os processos centrais da operação dele, e comece a colocar tudo isso em um manual;
  3. Ele precisa também começar a estruturar os treinamentos que irá fornecer para a rede dele;
  4. Ter a parte jurídica pronta, essencialmente a COF, que é a circular de oferta de franquia e o contrato de franquia;
  5. O plano financeiro também é muito importante. É essencial que ele consiga apresentar os detalhes financeiros e qual é a expectativa de retorno para o franqueado/investidor interessado;
  6. Além disso, um aspecto relevante e um pouco menos óbvio, é você se preocupar se os fornecedores da sua rede vão conseguir acompanhar o crescimento que pretende imprimir. Às vezes, você tem um fornecedor local que não tem capilaridade nem potencial para atender a toda sua rede, o que gera problemas no futuro. Se esse for o caso, é necessário chamar esse fornecedor para uma conversa, e planejar esse crescimento de maneira conjunta.

Por fim, gostaríamos de uma dica de como estruturar um negócio de maneira organizada, sustentável e respeitando todas as etapas necessárias para que ele seja um negócio franqueável.

Renan: Então, a primeira coisa a se fazer é testar e pilotar por pelo menos por um ano essa primeira unidade e seu conceito. Testar também a replicabilidade, fazer essa gestão à distância para ver como é isso, se estruturar – planejar, fazer seu contrato de franquia, sua COF, o plano financeiro e os manuais, e focar no longo prazo. Não caia na sedução da taxa de franquia focando no curto prazo porque esse sucesso acaba muito rápido. 

Ademais, se você gostou do conteúdo até aqui, ouça a entrevista completa no player acima ou em nosso canal de podcast no Spotify. Caso ainda não saiba quais são as vantagens de expandir sua rede através do modelo de franquias, leia mais aqui.