Como os CEOs de 3 franquias veem o futuro de suas marcas

Perguntamos aos líderes de grandes franquias como eles estão reagindo aos efeitos do Covid-19 em todos os níveis de seus negócios. Confira aqui como os CEOs de 3 franquias veem o futuro de suas marcas após o Covid-19.

Como os CEOs de 3 franquias veem o futuro de suas marcas:

Robson Fejoli, co-founder e sócio-diretor Instituto Gourmet

O que vemos é que existirão algumas mudanças neste ‘novo normal’. Como nosso modelo de negócio exige muito contato pessoal, sabemos que algumas pessoas se sentirão à vontade para voltar imediatamente às aulas, e uma outra parcela não estará confortável mesmo com nossas novas diretrizes de desinfecção e cuidados. Mas também percebemos que o impacto das famílias que buscam menos contato será significativo. Sendo esse o caso, procuramos novos programas, como o lançamento de nossas aulas on-line, para fornecer uma transição de confiança para o novo cenário em que o Brasil se encontra.

Confira a matéria onde falamos mais sobre o EAD e as franquias de educação 

Dessa maneira, continuaremos nos movendo, em busca de inovações e soluções. Acreditamos que há um novo potencial de crescimento nessa área com a qual sonhamos antes. Essa situação, embora não seja ideal no curto prazo, nos ajudará a implementar inovações, sem perder a nossa essência de “mão na massa”. Como resultado da forma como oferecemos aulas, pensamos que toda essa crise tem gerado grandes oportunidades e mudanças nos nossos negócios, gerando valor de forma significativa em todo ecossistema do Instituto Gourmet.

Glaucio Athayde, co-founder e sócio-diretor Instituto Gourmet

A pandemia está gerando uma intensa reflexão em todas as empresas, todos precisando se reinventar e com um senso de urgência enorme. Muitas empresas tinham projetos em andamento já prevendo a necessidade de se tornarem mais tecnológicas, isso tudo acabou sendo priorizado e acelerado pelas marcas.

Nós, por exemplo, já entendíamos que o futuro do nosso negócio é um modelo híbrido de educação, parte online, parte presencial. Em quinze dias tivemos que implantar uma plataforma de cursos online e é um caminho sem volta. Antes nossas vendas eram feitas a distância ou presencial, mas não 100% online, e isso está sendo revisto. Temos que estar em todos os canais de venda, é a nova tendência Omnichanel. Esse será o futuro da nossa marca, tecnologia inserida dentro da parte pedagógica, claro sem perder a nossa essência que é a aula prática com a mão na massa, e facilitar o acesso dos alunos a qualificação profissional, que será essencial neste momento de alto desemprego gerado pelo Covid19.

Georgios Frangulis, founder e CEO OAKBERRY

Nossa motivação principal sempre foi transformar a marca OAKBERRY em um legado que trouxesse de forma clara ao nosso cliente a experiência e o valor agregado, que são pilares do nosso negócio.

Um momento de crise, principalmente uma crise global e sanitária como a que enfrentamos hoje, deve fazer com que o público busque cada vez mais marcas, produtos e conceitos em que confie. Estamos nos preparando desde o início da pandemia para entregar padrão e segurança assim que abrirmos novamente nossas unidades.

Paulo Morais, co-founder e co-CEO Espaçolaser

Aqui na Espaçolaser estamos preparando a empresa para uma retomada em ritmo acelerado. Acreditamos que as pessoas se preocuparão muito mais com a autoestima e a beleza, para que se sintam bem e em condições de cumprirem suas metas. Assim, estamos animados com uma retomada em bom ritmo. Por isso, estamos cuidando de aberturas novas unidades, e novos processos para estarmos melhores e devidamente adequados ao novo momento.