Franquias enxutas crescem como opção de investimento

É muito provável que o franchising se movimente de forma similar ao que foi visto em crises anteriores. As franquias deverão crescer como modalidade de negócio não só aos investidores, mas também para aqueles que não conseguiram se recolocar no mercado de trabalho. Neste cenário, as franquias com operações enxutas crescem como opção de investimento e se destacam dentre as opções do setor.

Este artigo foi baseado no recente Especial de Franquias do Valor Econômico, mas contempla em maior detalhe quais são as vantagens das franquias com operações enxutas e como funciona este modelo. Confira a entrevista com o master franqueado OAKBERRY, Diego Caumo.

Operações enxutas crescem como opção de investimento

Originalmente publicada no Valor Econômico – Especial de Franquias

Operações enxutas crescem como opção de investimento por Katia Simões
https://valor.globo.com/publicacoes/suplementos/noticia/2020/06/09/operacoes-enxutas-crescem-como-opcao-de-investimento.ghtml

Apesar das dificuldades, há franquias que estão crescendo no meio da crise. É o caso da Rapidão App, plataforma de entrega de produtos com atuação em cidades de até 600 mil habitantes. A rede, que começou no franchising em novembro de 2019, contava no início de março com 40 franquias. Em maio, já somava 103. “Foi tudo muito rápido. Com a pandemia, o delivery cresceu e os pequenos municípios começaram a demandar o serviço”, afirma Leone Schultz, sócio-fundador. “Nossa meta era fechar 2020 com 100 unidades, previsão que foi dobrada.”

Com 1200 comércios cadastrados, a uma média de 20 novas adesões por dia, a franquia faz parte de um perfil de negócio que tende a crescer na retomada: requer baixo investimento inicial e tem estrutura enxuta.

Quem também viu o trabalho aumentar foi a Astral, maior rede de franquias de controle de pragas da América Latina. “Muitos dos nossos clientes interromperam suas operações como hotéis, restaurantes, espaços de eventos, porém, outras frentes foram abertas no combate ao coronavírus”, diz o fundador Beto Filho, que também preside a ABF Rio. “Fomos ágeis na criação de protocolos, adaptação de EPIs, desenvolvimento de produto e treinamento específico para adaptar os profissionais da rede ao cenário específico do vírus.” Segundo o empresário, o consumidor demandará cada vez mais ambientes sanitizados seja no mercado em geral, seja no âmbito doméstico. Para tanto, a Astral acelerará o lançamento da microfranquia de bioproteção residencial, com investimento inicial de R$ 18 mil.

“A tendência é que se repita o que vimos em crises anteriores, quando o franchising cresceu como opção de negócio para investidores e para quem não conseguiu se recolocar no mercado”, afirma Marcelo Cherto, presidente do Grupo Cherto. “Muitos dos que perderão o emprego não terão dinheiro para investir, a pequena parcela com fôlego, porém, já conseguirá movimentar bastante o setor.” Na visão do consultor, as redes que ofertarem modelos mais enxutos, na faixa entre R$ 100 mil e R$ 200 mil, tendem a se expandir.

Para a consultora Ana Vecchi, mais do que diminuir o número de postos de trabalho no setor, que em 2019 girava em torno de 1,3 milhão, o saldo que a pandemia deixará para o franchising será o da adoção de operações mais enxutas, menos custosas e mais flexíveis. “O que está mudando de maneira acelerada é a forma como trabalhamos.”

Cândido Espinheira, CEO da Yes Cosméticos, com 80 unidades, não demorou a perceber o que isso significa. “Muito do trabalho que fazemos em grandes escritórios pode ser realizado de forma remota, com alta produtividade.” Em uma semana, a franqueadora colocou seus colaboradores em home office, implantou uma ferramenta que permite recriar na tela os ambientes físicos. Passou a fazer reuniões sempre às segundas-feiras, às 8h30. “Criamos uma rotina, a prestação de contas ficou mais transparente, as discussões mais produtivas e as áreas mais conectadas.”

Diego Caumo, Master franqueado OAKBERRY, com 7 lojas próprias, comenta sobre os benefícios de uma franquia de operação enxuta

A OAKBERRY Açaí Bowls é uma rede de franquias enxutas que crescem como opção de investimento. Confira os comentários de Diego Caumo, master franqueado com 7 lojas próprias, sobre as vantagens deste modelo de negócio.

” O que me encantou na operação na OAKBERRY foi a praticidade de operar e a facilidade de lidar com o dia a dia. Na minha opinião, os principais fatores para esse sucesso na operação são:

1) Poucos fornecedores e produtos

Dá pra contar na mão os principais fornecedores. Todos entregam em pouco tempo no próprio PDV. Isso ajuda na gestão do estoque, controle de mercadorias e fluxo.

2) Quadro de funcionários pequeno

A operação roda com pouquíssimos atendentes e somente duas funções, que inclusive, todos os atendentes são treinados para fazer. Duas pessoas por turno é o padrão de funcionamento. E são quatro funcionários totais no horário dos Shoppings, onde estão 80% das lojas. 

3) Fácil gestão

Processo e treinamentos bem definidos e com atualização e reciclagens regulares. Se eu, como dono, entrar dentro do quiosque, acabo atrapalhando ao invés de ajudar. Meu papel é muito mais gerir e controlar do que propriamente participar da operação. Para quem tem outras atividades, é uma operação que dá perfeitamente para conciliar. “

OAKBERRY: maior rede de alimentação saudável do mundo, especializada em açaí bowls

A OAKBERRY é a maior rede de alimentação saudável focada em açaí bowls do mundo. Presente em mais de 10 países, possui modelo de operação enxuta, tendência de crescimento no setor de franquias.

Custos de abertura para loja operando: Entre R$ 140.000 e R$ 160.000. 

Projeção de faturamento mensal: Entre R$55.000 e R$75.000. 

Retorno sobre capital investido: De 12 até 24 meses. 

Margem de Lucro média: 20% do faturamento bruto. 

Número de funcionários por unidade: De 3 a 5. 

Taxa de franquia: R$ 40.000 (já incluso no custo de abertura). 

Royalties: 6% sobre as vendas

Para receber uma apresentação completa da franquia OAKBERRY, cadastre-se aqui.