Hoje minha avó é mais feliz

No mês em que se comemora o dia dos avós, Felipe Dorta conta como surgiu a ideia de presentear a avó com um implante, e todas as mudanças que vieram depois disso.

Minha avó Maria Iolanda, de 74 anos gosta muito de cozinhar. Aos finais de semana, ela sempre adorou fazer todas as comidas, com mesa farta sempre agradando a todos.

Apesar disso, ela não conseguia aproveitar da mesma forma que o resto da família.

Aos 11 anos de idade ela começou a perder os dentes, e como não haviam tratamentos nessa época, a situação só foi se agravando. Ela tinha muita dificuldade em se alimentar perto dos familiares, sempre se escondendo para mastigar ou na hora de sair em fotos.

O pior de tudo: Minha avó não conseguia mais sorrir.

Vendo essa situação, nós decidimos fazer uma surpresa e presenteá-la com o tratamento de implantes dentários, tentando retribuir um pouquinho de tudo o que ela fez pela família.

O dia em que anunciamos a surpresa foi um dos mais especiais da minha vida. Ela se emocionou muito, e nós também.

Hoje posso dizer que minha avó é outra pessoa. Consegue se alimentar muito melhor, sorrir em fotos – ou fora delas – e principalmente: é muito mais feliz.

Tudo valeu muito a pena, pois eu acredito que avó é a base da família. Ela é sinônimo de família reunida, de lembranças boas, almoços de domingo, e muito amor.

Cresce a busca por negócios com propósito:

Muitas empresas estão prosperando, apesar dos grandes desafios apresentados pela pandemia de Covid-19. O ponto comum é um compromisso autêntico e integrado com objetivos maiores do que lucratividade ou crescimento. Segundo matéria publicada na revista Forbes, na última crise financeira, empresas com certificado B (que equilibram propósito e lucro) tiveram 63% mais chances de sobreviver do que outras empresas de tamanho semelhante.

Investimentos em empresas de saúde ganham força

Este foi um ano atípico para o mundo dos negócios. Em 2020, a pandemia do novo coronavírus derrubou previsões de crescimento de vários mercados ao redor do mundo, e obrigou as empresas a se reinventar. Alguns setores, no entanto, cresceram nesse contexto: em uma crise sanitária, como já era de se esperar, as empresas de saúde estão recebendo mais investimentos do que nunca.

Chama a atenção o interesse crescente por empresas que buscam democratizar o acesso à saúde, oferecendo uma rede de cobertura abrangente a preços mais competitivos.

É o caso da Oral Sin implantes, que teve em julho de 2020 o mês com maior faturamento em seus 16 anos de história. Depois de já ter superado as metas previstas para o primeiro semestre de 2020, a rede de clínicas Nº1 em implantes dentários do Brasil iniciou a segunda metade do ano faturando 121% acima da meta geral prevista para o respectivo mês.

Ao contrário da onda de desemprego que vem assolando o país, o número de empregos gerados pela Oral Sin só aumenta. A rede de clínicas Nº1 em implantes dentários do Brasil conta hoje com aproximadamente dez mil colaboradores diretos e indiretos. “A tendência é ampliar ainda mais o quadro de colaboradores, já que a previsão é inaugurar mais clínicas nos próximos meses”, disse o doutor. “Certamente é a família que mais cresce no país”, apontou Felipe Sapata – cirurgião-dentista e diretor nacional de expansão da Oral Sin Implantes.

Acompanhe o vídeo onde D. Maria Iolanda recebe a surpresa da família: