A importância de escutar o franqueado

São muitos os aprendizados que este momento de pandemia tem nos oferecido. No meu artigo anterior, falei sobre os cinco que considero muito importantes. Além deles, existe um outro que merece um artigo exclusivo: a importância de escutar o franqueado.

Por Daniel Almeida

Uma rede de franquias de sucesso tem um modelo de negócios testado, estruturado e lucrativo, gerando valor a todos os envolvidos nesta cadeia. Além disso, deve também buscar formar sua rede com franqueados empreendedores, envolvidos com o negócio, apaixonados por fazer a diferença.

Assim, quando uma rede de franquias consegue unir todos esses pontos, com engajamento desde a franqueadora, passando pelos franqueados e colaboradores, está no caminho certo. Este esforço conjunto é o que irá resultar em uma entrega e experiência de excelência ao cliente final.

Por fim, ao atingir todos esses pontos e formar uma rede de valor, é hora de manter o engajamento. Uma forma de fazer isso é promover canais de comunicação abertos e diretos, buscando sempre ouvir aos clientes internos e externos. Ou seja, se importando não apenas com o que o cliente final tem a dizer mas também com as colaborações dos franqueados.

Por que é importante escutar o franqueado?

Praticando um canal aberto, direto e ágil de comunicação muito se tem a ganhar. Veja alguns exemplos da importância de escutar o franqueado:

  • O franqueado traz insights importantes do ponto de venda, reportando sobre necessidades dos clientes, percepções e comportamento de compras;
  • É ele também um grande parceiro para implementar inovações e projetos pilotos, colocando a importância necessária para a validação das novas iniciativas e pontos de melhoria;
  • Além disso, ele é peça fundamental no envolvimento dos colaboradores do ponto de venda, e pode ser um grande parceiro para envolver outros franqueados que possam apresentar resistência às mudanças;
  • Uma rede com um grande número de franqueados pode ter um pouco mais de dificuldades para escutar aos seus franqueados de forma individual. Dessa forma, uma alternativa que algumas franqueadoras buscam é formar comitê de franqueados que se reúnem com frequência, e levam à franqueadora as principais ideias, percepções e demandas reunidas entre eles. É neste comitê que novas ideias podem surgir resultando em novos projetos de sucesso, gerando valor a todos os envolvidos.

Em tempos de lives, chamadas em grupo pelo WhatsApp, videoconferências pelo zoom e outras diversas plataformas de comunicação, escutar ao franqueado deve ser prioridade para o franqueador. 

E mais do que isso, é papel do franqueador fazer com que o franqueado se sinta importante e a vontade para se comunicar com a franqueadora sempre que precisar, tendo a garantia de obter ajuda e respaldo para suas necessidades.

Franqueados que se sentem apoiados, além de serem representantes da marca, tornam-se seus maiores defensores. Profissionais felizes, apaixonados e comprometidos com o negócio.