Fast-casual: o tipo de restaurante que mais cresce no mundo

Philip Martin, co-fundador do GUA.CO, compartilha sua jornada como empreendedor e explica o fast-casual, o tipo de restaurante que mais cresce no mundo.

Nas últimas 2 décadas o fast-food teve um declínio constante em sua taxa de crescimento no exterior, e novos players entraram para preencher esse “gap” de mercado, a maioria deles no segmento novo chamado fast-casual. Essa mesma tendência está começando a afetar o Brasil: mais e mais as pessoas comem fora de casa e estão se preocupando com a qualidade de sua alimentação. Entenda, o que é o Fast-casual: o tipo de restaurante que mais cresce no mundo.

Como começou o GUA.CO?

Por Philip Martin, co-fundador do GUA.CO

Gabriel Slenes e o Matheus Fattori tinham uma banda e viajaram em turnê para os Estados Unidos. Para economizar, comiam em um restaurante mexicano no estilo americano que oferecia refeições gratuitas para artistas. Quando voltaram para o Brasil, sentiam muita falta daquela comida e não encontravam nada parecido por aqui. Junto com outro amigo, Tomás Lima, idealizaram um restaurante que trouxesse comida autêntica, fresca, com rapidez e praticidade, assim como era nos EUA. Para trabalhar no design da marca, me convidaram para ser sócio, e assim surgiu o GUA.CO. Uma inspiração nossa foi a rede americana Chipotle, considerada referência no assunto.

Antes de tudo, fazíamos os burritos em casa para testar as melhores combinações e assim chegamos à base das receitas que são servidas nos restaurantes hoje. Depois começamos a organizar eventos para amigos e conhecidos para provar as receitas. Depois de muitos erros e acertos, inauguramos em Campinas, em setembro de 2016.

Por que podemos dizer que ele faz parte da tendência Fast-casual: o tipo de restaurante que mais cresce no mundo?

Em suma, o fast-casual une as melhores qualidades do casual-dining e do fast-food. O GUA.CO junta as qualidades positivas destes gêneros: a cozinha de um restaurante de verdade, que produz tudo de forma natural, fresca, e diária e a linha de atendimento e finalização rápida dos pratos de forma personalizada, sem atendimento na mesa. Nós utilizamos ingredientes de alta qualidade, com processos de produção mais artesanais. O preparo é feito na hora, com alimentos frescos, o que permite que o cliente personalize sua refeição. O restaurante foi pensado para ser um ambiente acolhedor, que proporciona bem-estar mesmo para uma refeição rápida, além de ter um atendimento cuidadoso. Já o cardápio foi desenvolvido para oferecer ingredientes de qualidade e também com opções veganas e vegetarianas.

Quais são os diferenciais da marca?

Somos muito preciosistas com todos os detalhes, então procuramos dar total atenção a eles porque queremos oferecer uma experiência perfeita para nossos clientes. E isso se aplica tanto à qualidade da comida, quanto a nossa presença online. O guacamole, por exemplo, receita típica que inspirou o nome do negócio, é feita com avocados de verdade (abacate mexicano), e o amadurecimento é monitorado pela nossa equipe, para que sejam usados no ponto correto. Essa atenção se estende para o salão do restaurante, com uma seleção de músicas que tenham a ver com nosso público, o contato que temos com os clientes nas redes sociais e a nossa principal marca, o marketing divertido. Falando em marketing, inovamos também montando uma equipe de marketing interna, para que tudo seja pensado nos mínimos detalhes e com total convergência com a identidade da marca.

Quando vocês decidiram por tornar o modelo franqueável, e se associar à SMZTO?

A verdade é que tivemos muita sorte, pois éramos uma empresa pequena, e já no começo estávamos atendendo cerca de 200 clientes por dia. Aí já percebemos que o negócio ia fazer muito sucesso. Em meados de 2017, a SMZTO conheceu o GUA.CO através dos nossos conteúdos nas redes sociais. Por sorte, o Bruno Semenzato conhecia o Chiplote e sabia que não havia nada parecido no Brasil, vendo uma oportunidade no GUA.CO. Assim, agendamos uma visita da SMZTO na nossa loja, onde demonstraram muito interesse e começou a nossa parceria.

O interessante é que quando abrimos o restaurante em 2016, nós pensávamos em fazer do GUA.CO uma rede, mas pouco conhecíamos deste mercado e não sabíamos se o melhor era ter lojas próprias ou abrir para franquias. Percorrendo esse caminho desde o início, descobrimos que franquear era um bom modelo para o GUACO e a SMZTO chegou no momento certo, tornando-se uma grande parceira que nos ajudou a desenhar o nosso modelo de franquias. A SMZTO abriu portas para que acelerássemos todas as soluções de problemas existentes naquele momento, desde supply chain, questões jurídicas e elaboração da COF (Circular de Oferta de Franquia). Desde então recebemos contato de muitas pessoas interessadas em investir no GUA.CO e agora estamos preparados para uma expansão robusta, com todo o auxílio necessário da holding.

Estamos acompanhando muitas mudanças sanitárias, econômicas e de comportamento no momento atual. Como você acredita que essas novidades irão influenciar o mercado da gastronomia e o negócio em que atua?

Este foi um dos setores mais afetados durante a pandemia, o que gerou muitas mudanças não só da parte dos empreendedores quando do comportamento do cliente. Anteriormente, o crescimento do delivery já era uma tendência, e agora com a pandemia, esta categoria de consumo ficou ainda maior. Acredito que esta tendência permaneça após a pandemia, pois as pessoas adquiriram mais o hábito de pedir comida em casa. A chave é se reinventar e se adaptar, o mercado já não é mais o mesmo, e sobreviverão aqueles que forem flexíveis e conseguirem se adaptar à nova realidade que estamos vivendo.

Neste período o GUA.CO transferiu todas as operações para delivery e retirada em loja. Para diversificar, aderimos ao sistema da Goomer GO, onde o usuário encontra nosso cardápio completo e faz seu pedido que chega direto no Whatsapp do restaurante, organizando e agilizando as operações de retirada em loja. Deu tão certo que pretendemos manter este sistema e também inserir totens de pedido nas lojas, no futuro. Também mudamos nosso regulamento interno e fortalecemos ainda mais a questão sanitária não só dos alimentos, mas também todos os ambientes e da equipe. E a partir de agora estas serão questões básicas para todos que voltarem a funcionar após este momento desafiador.

Para quem quer conhecer mais sobre o GUA.CO, e cogita se tornar um franqueado. Qual é o primeiro passo, e qual o capital inicial necessário?

O primeiro ponto que um possível franqueado precisa saber é que ele não estará sozinho. Nossos franqueados recebem todo suporte necessário desde a identificação do ponto até a inauguração, suporte no dia-dia dos nossos consultores especializados até planos de ação específicos, e estratégias de crescimento à médio/longo prazo. O modelo de negócio que desenvolvemos é enxuto, com design eficiente e minimalista e investimento a partir de R$ 650 mil, já com taxa de franquia, capital de giro e instalação. Para saber mais, em nosso site existe uma página dedicada aos interessados em serem franqueados. Lá eles encontram números e estatísticas do nosso negócio, além de um formulário que deve ser preenchido para que nosso consultor de novos negócios entre em contato com mais detalhes e possa dar início às negociações.